Inocência

Como seria bom se tivéssemos a inocência de uma criança.
Brincar, falar, brigar e depois de tudo se abraçar.
As crianças é que sabem viver.
Não só pela brincadeira.
Mas principalmente pela inocência.
Se está triste, ela não disfarça.
Se está feliz, pula de alegria.
Se não gosta, diz que não gosta.
Se quer falar, fala sem parar.
A criança é verdadeira.
Não manipula.
Não disfarça.
Não finge.
Não dissimula.
Olhe para sua criança.
E ao invés de tentar ensiná-la o tempo todo.
Troque de lugar e APRENDA.
Enquanto dormimos, a dor que não se dissipa cai gota a gota sobre nosso coração.
Até que, em meio ao nosso desespero e contra a nossa vontade, apenas pela graça divina,
vem a sabedoria.
"Ésquilo"

A bailarina



Esta menina tão pequenina

quer ser bailarina.


Não conhece nem dó nem ré

mas sabe ficar na ponta do pé.


Não conhece nem mi nem fá

mas inclina o corpo para cá e para lá.


Não conhece nem lá nem si,

mas fecha os olhos e sorri.


Roda, roda, roda com os bracinhos no ar

e não fica tonta nem sai do lugar.


Põe no cabelo uma estrela e um véu

e diz que caiu do céu.


Esta menina tão pequenina

quer ser bailarina.


Mas depois esquece todas as danças,

e também quer dormir como as outras crianças.


Cecília Meireles