Síndrome de Turner - complementando...


Em meu post sobre a Síndrome de Turner me esqueci de mencionar um fato que acho muito importante e quando o estava escrevendo acabei me esquecendo.

Nessas minhas idas e vindas à médicos, psicólogas, psicopedagogas, descobri um problema que eu nuncha tiva ouvido falar. Uma fonoaudióloga me informou sobre um problema que ocorre no complexo auditivo central que ocasiona dificuldades de aprendizado.
O que me lembro é que ela me disse que a pessoa ouve perfeitamente bem, mas quando a informação é processada dentro do cérebro ela chega truncada, parte dela se perde e a pessoa acaba tendo dificuldades para entender o que é explicado.

Ocorre que um amigo de meu marido estava um dia comentando sobre a dificuldade que a filha dele tinha na escola, ela só passava de ano após a recuperação e algumas vezes somente depois do conselho de classe, ouve uma ocasião em que a professora chegou a dizer que ele devia “dar uma surra” na menina.

Lembramos então da explicação da fono e o aconselhamos a procurá-la.

Ele seguiu nosso conselho, levou-a até a fono e fez alguns exames para poder diagnosticar se ela realmente tinha esse problema no complexo auditivo central. Existe a possibilidade de minha filha também ter esse problema, mas os exames são muito lógicos e ela não consegue faze-los.

Após os exames, constatou-se que ela tinha realmente o problema acima e ela começou a fazer terapia desde então.

Algum tempo depois, perguntamos a ele como estava o tratamento e ele estava muito feliz pois já tinha surtido efeito, ela passou a ter menos dificuldades na escola e nem precisou de recuperação.

Dia desses eu estava em seu escritório e a ouvimos chegar toda feliz, falando muito alto, a felicidade dela nos chamou a atenção, então ele nos disse:

- Ela passou no vestibular! – todo orgulhoso.

Ela entrou, sorriso de orelha à orelha, os olhos verdes brilhavam como duas estrelinhas no céu. Lhe dei meus parabéns e disse que estava muito orgulhosa de saber que ela havia passado. Ela saiu correndo e pulando para falar com as outras pessoas.

Fiquei realmente muito feliz, principalmente por saber que eu havia dado uma pequena contribuição e ela estava me recompensando com seu sorriso.
Existe ou não existe uma razão para tudo nessa vida?? Se eu não tivesse procurado uma fono, se ela não tivesse me explicado isso, se o pai não tivesse nos contado, talvez a professora ainda estaria insistindo na tal surra...
imagem: bielmenezes

A maçaneta....


Pérola ouvida pelo meu cunhado:



- Moço, onde fica o banheiro?

- Logo em frente.

- Mas a porta está fechada.

- A senhora está vendo a maçaneta? Experimente girá-la.....



Ui, depois dessa eu sairia de fininho.
imagem: jon-peregrino

Tatoo


Durante o banho com minhas flores....

- Mãe, me passa o sabonete e a esponja??
- Está bem.
- Vira mãe.
- Virar porquê? Eu já terminei e estou saindo...
- Vira que eu vou lavar essa sua tatuagem aí.
- Mas ela não sai filha. Terei essa tatoo para sempre.
- Não pode ser. Não aguento mais ver esse beija-flor que nunca sai daí. Vou lavar bem e vai sair, você vair ver.
- Oh meu Deus, não dá filha.
- Ah dá sim, nem que eu tenha que pegar uma lixa e raspar tudinho e..... VOLTA AQUI MÃE!


E eu? Saí correndo, me enxuguei correndo e me vesti mais depressa ainda. Eu hein....
imagem: Margarete

Vira-lata


Vira-lata É isso que eu sou, uma vira-lata. Por que?
Pense comigo, o cãozinho lá abandonado, o dono não dá a mínima, não o alimenta, não dá carinho, o bichinho fica lá, mas é só o dono trocar olhares com ele e pronto, lá vem ele abanando o rabinho. Todo feliz...É assim que eu sou, não tem uma melhor definição.
Vou explicar. Dia desses entrei naquele famoso site de relacionamento, sabe, o orkut, e notei que algumas pessoas atualizaram suas fotos, a curiosa correu os olhos para observar as tais fotografias. E quem encontro?? Uma pessoa, que mentiu com a maior cara lavada, foi desleal, me deixou pra baixo de capacho (pelo menos foi assim que me senti), foi manipuladora, enfim, fez um fuzuê danado.
E lá está ela, no álbum da filha pois ela mesma já encerrou a própria conta a meses atrás, cliquei na foto e lá estava ela, sorrindo ao lado da filha. Aí lembrei-me de tudo que passei e ainda estou passando por causa dela e cheguei a essa conclusão: sou uma vira-lata mesmo!
Sabe aqueles momentos de raiva, em que a gente desabafa e diz que não está nem aí, nunca mais quer ver a pessoa nem que ela venha rastejando, implorando, não quero saber, que se dane.... coisas desse gênero??
Pois é, achei que minha reação continuaria sendo essa e para minha surpresa, o que senti??? Ternura, carinho.... Mas como assim?? Sei que sou uma tonta na hora de falar, de desembuchar, que acabo falando um décimo do que a pessoa merece ouvir, mas ternura?? Me poupe...
Olhei para foto, ela estava sorrindo, me parecia feliz. Se está realmente feliz com a vida que está levando não sei, só sei que pelo menos naquele instante, naquele clique, ela estava feliz e eu também fiquei feliz em perceber isso, não estou dizendo que queria vê-la triste, infeliz ou coisa assim, espero realmente que ela esteja bem, só quero dizer que ela merece ouvir umas poucas e boas, afinal de contas, para minha estrela brilhar a dela nao precisa se apagar.
Amigo dá força, dá apoio e também dá os devidos puxões de orelha quando vê que o outro está saindo da linha e ela ainda merece um belo puxão de orelha de minha parte e percebi naquele momento que se por acaso eu cruzar com ela, eu simplesmente não conseguirei fazer isso.
O que farei?? Dar um abraço bem apertado, afinal de contas eu nunca deixei de ser sua amiga, mesmo de longe. Por isso, espero que ela demore muito a me procurar, se é que ela cogita essa possibilidade, assim ela pode continuar pensando que continuo furiosa com o que ela aprontou e com a consciência pesada, se é que chegou a pesar.
Então nao tem jeito. Sou uma vira-lata mesmo, mas não venha me tratar com resto de comida e ossos para eu roer não, quero mesmo é ser tratada com filé miau-au-au.
imagem: Raideres

Flagra


Ela - cresce e permanece criança
A mãe – observa
Ela – encontra no pai um porto seguro
A mãe – amor, acima de tudo e todos
Ela – continua criança
A mãe – espera
Ela – não resiste
A mãe – a flagra usando seus sapatos e chora... de felicidade


Pés: Dela
Sapatos: Da mãe
imagem: Margarete

Pânico



Conversa ao telefone na segunda-feira, do lado de cá da linha: meu marido.




Marido:- Amanhã é feriado aqui em São Paulo, me ligue em casa ou no meu celular.
Pessoa: - Me passa o número do celular, eu não tenho.
Marido:- 71..-....
Pessoa:- Ih, espere um pouco, deu pânico na caneta...
Marido:- Certo.... (com a mão na boca para não cair na gargalhada)




imagem: Dega

Orquídea

Qual é a graça em cuidar de uma folhagem feia durante um ano inteirinho??




Resposta:


Dia



Dia de ouvir:
o canto dos pássaros - já os ouço
o silencio
meu coração
a risada de uma criança
a tagarelice da outra

De cantar
De dançar
De olhar para meu interior
E me reencontrar

Dia de organizar
De limpar as gavetas de minha existência
De destrancar as portas de meu coração
De abrir as janelas da minha razão

Hoje
Dia de olhar pela janela a procura do sol
Dia de faxina...


imagem: Cia das cores

Estou com raiva


De mim, por ser tão passiva, ai que raiva, ai que raiva, queria conseguir simplesmente botar tudo pra fora, falar tudo que me dá vontade, mas na hora H acabo contornando a situação, escolho as palavras cuidadosamente, sendo delicada, coerente e tento ao máximo não magoar ninguém e no final quem leva a culpa e sai magoada sou eu.

Estou chorando por dentro, não gosto que me vejam chorando. Está doendo e me fazendo mal, meu marido diz que sou boba, tenho que deixar rolar e pronto. Depois que desabafa, passa... Mas não consigo!

Estou no meio de uma luta e me sinto fraca, não sei como agir nesse momento, sinto que devo fazer algo mas não consigo organizar meus pensamentos e minhas atitudes.

Me sinto só, sinto falta de receber uma ligação, um oi ou como você está? gestos tão simples... tenho tudo o que sempre sonhei, uma família linda, um homem maravilhoso que amo e sei que sou correspondida, duas filhas maravilhosas, uma casa que transpira meu jeito de ser, cada cantinho tem minha assinatura, tenho meu trabalho, mas tem hora que me sinto muito só e para ser sincera, odeio isso.

Será que é meu nariz empinado? Não tenho culpa, meus pais me fizeram assim. Talvez meu jeito tímido de ser, demoro muito para poder mostrar quem sou e muitas pessoas acabam achando que sou “metida”, será? Ou talvez seja bobeira minha.

Só sei que um elo de confiança se quebrou e me desestabilizou. Acredito nas pessoas e em sua capacidade de adaptação, mas tenho medo, quero resolver tudo, abraçar o mundo, só não acho uma resposta a essa equação.

Ai que raiva e para variar estou ficando com dor de ouvido, toda vez que fico tensa sinto dor.
imagem: www.apape.org.br

Caminhos


Olhando pela janela,
O tempo passa
Sem olhar para trás
Continua seu caminho a passos largos

Entre pedras, buracos e curvas
Escolhas acertadas
Escolhas equivocadas
O tempo passa, implacável

Amanhecer
Anoitecer
Adormecer
Despertar

Caminhos se cruzam
Caminhos se afastam
Caminhos perigosos
Caminhos paralelos

Decisão
Bifurcação
Cruzamento
Indecisão

Meu! Meu!


Apaga a vela! Apaga a vela!
Corta o bolo! Corta o bolo!
Primeiro pedaço e meu!
Meu!
Meu!
E o primeiro pedaço passou.
Segundo então.
Meu!
Meu!
Meu!
Esse nem chegou perto.
Terceiro?
Não quero! Não quero!
E ele vem,
Meio sem graça.
E eu, não quero! Não quero!
Parou e estendeu o braço.
Para mim? Tem certeza?
Meio sem graça me entregou.
Meio sem graça aceitei.
Eba, eu ganhei, eu ganhei....

Despedida


Dia triste
De lhe dizer adeus
Apenas lembranças me restaram
Cheiro de pão
Uva passa e ricota
Meu preferido
Sabor de infância
Ah, como sabias disso...
Seu jeito de olhar
De falar, de sorrir
Tudo me vem à memória
Agradeço por ter sido assim
Me despeço
Com o coração apertado
Com lágrimas que insistem em rolar
Com dor
Mas com a imensa satisfação
De ter feito parte de sua história
Adeus...

Ontem não escrevi nada pois a dor de uma perda não me permitiu.
Hoje me despedi e presto homenagem a uma pessoa maravilhosa que passou pela minha vida e que sempre tive imenso prazer de chamá-la de tia.
imagem: http://escrevoapenas.blogs.sapo.pt