Ao telefone

Meu ramal tocou, não antes de ser atendido pela central telefônica:

- Margarete, bom bia!
- Alô, com quem eu falo?
- Margarete.
- Ah, Margarida, eu gostaria de falar com o responsável pelo setor de compras.
- É com a Dona Margarete, mas ela não está.
- Qual seria o melhor horário que eu possa falar com ela?
- Sei não moço, ela foi pros Esteitis passar o Natal e o reveião no centro parque.
- Eu ligo depois então, obrigado.
- Disponha, moço.

Marido entra com cara de exclamação:

- Ela pirou de vez....

Pirei? Será? Ah, nem entendeu meu nome, não quero nem saber....

Noite




Tem dias que parece noite
Tem noites tão negras
Que se perde no vazio
A lucidez
A identidade
A vontade
Seguro em um fio
Me desnudo na escuridão
Que me fere a alma
Que me tira a essência
E cujas estrelas se escondem
Espero a chegada do sol
Para iluminar meu caminho
E curar todas minhas feridas

Sorry friends, last night wasn´t easy. However, I´ve learned a lesson and today I´m trying to find my way back to the place once I belonged.....



8 ou 80...


Ou se está feliz ou se está triste
Ou se está saudável ou se está doente
Ou se está amando ou se está odiando
Ou se está sorrindo ou se está chorando
Ou está seco ou está molhado
Porque as coisa não podem se manter equilibradas?

Esses antônimos são muito incômodos...
imagem: emmep.com.sapo.pt

Estrada

Hoje é o nosso dia
Dia em que compartilhamos nossos momentos
Dia em que recebemos bençãos
De Deus
De familiares
De amigos
Dos céus

Dia em que iniciamos nossa jornada
Em que nossos caminhos se uniram
Se transformou em uma estrada dourada
Com curvas, túneis e subidas

A cada curva
Nossa estrada se fortalece
A cada túnel uma vitória
A cada vitória uma história

E a estrada segue sua trajetória

E hoje...Em nosso dia
Atravessamos mais uma ponte

E lhe estendo um tapete vermelho
Lhe faço reverência
Lhe digo: Te amo!
Ontem, hoje e sempre!

imagem: Margarete

Briga


É muito engraçado a relação de amor e ódio entre irmãos, uma hora se amam, outra hora estão se pegando e só os pais para apartar a briga.

Sábado foi um dia desses em casa, mas o bom é que depois da tempestade vem a bonança, isto é, a briga dura pouco, graças à Deus.

Atendi o telefone e era minha sogra, comecei a falar com ela e ouvi uma discussão no meu quarto, fui até lá para ver o que estava acontecendo, tive que pedir para minha sogra aguardar um pouquinho para poder resolver a pendenga. Elas estavam gritando uma com a outra:

- É meu!

- Não senhora. "Ele" é meu, eu que peguei "ele" primeiro.

- É meu!

- É meu e pronto! - e saiu correndo com "ele" para o quintal.

Uma ficou no quarto chorando enquanto a outra descia a escada correndo com "ele".

Terminei a conversa com minha sogra e depois de conversar com minhas flores sentei e acabei rindo muito, pois o "ele" a que as duas se referiam era o primo, que tinha dormido em casa para brincar com elas. Pode???

"Ele" ficou chocado, sentou-se na escada e ficou olhando para o nada, acho que o menino nunca imaginou que seria tratado como objeto, falei para "ele" ligar a TV e "ele" continou lá.... ainda bem que "ele" já está acostumado com as duas, senão acho que nunca mais "ele" ia querer olhar para a cara delas.

BIOS

Descobri qual era o problema do meu notebook.
(Não conseguia acentuar direito algumas palavras)

BIOS - Bichinho Ignorante Operando o Sistema
É fogo viu!! Muda a cor do capim, aí a burra aqui quase morre de fome...

Lindo....

Não posso carregar suas dores,
Posso apenas andar ao seu lado,
Dar-lhe a mão quando caires,
Levar-te no colo quando estiveres cansada.


A maçaneta....


Pérola ouvida pelo meu cunhado:



- Moço, onde fica o banheiro?

- Logo em frente.

- Mas a porta está fechada.

- A senhora está vendo a maçaneta? Experimente girá-la.....



Ui, depois dessa eu sairia de fininho.
imagem: jon-peregrino

Tatoo


Durante o banho com minhas flores....

- Mãe, me passa o sabonete e a esponja??
- Está bem.
- Vira mãe.
- Virar porquê? Eu já terminei e estou saindo...
- Vira que eu vou lavar essa sua tatuagem aí.
- Mas ela não sai filha. Terei essa tatoo para sempre.
- Não pode ser. Não aguento mais ver esse beija-flor que nunca sai daí. Vou lavar bem e vai sair, você vair ver.
- Oh meu Deus, não dá filha.
- Ah dá sim, nem que eu tenha que pegar uma lixa e raspar tudinho e..... VOLTA AQUI MÃE!


E eu? Saí correndo, me enxuguei correndo e me vesti mais depressa ainda. Eu hein....
imagem: Margarete

Vira-lata


Vira-lata É isso que eu sou, uma vira-lata. Por que?
Pense comigo, o cãozinho lá abandonado, o dono não dá a mínima, não o alimenta, não dá carinho, o bichinho fica lá, mas é só o dono trocar olhares com ele e pronto, lá vem ele abanando o rabinho. Todo feliz...É assim que eu sou, não tem uma melhor definição.
Vou explicar. Dia desses entrei naquele famoso site de relacionamento, sabe, o orkut, e notei que algumas pessoas atualizaram suas fotos, a curiosa correu os olhos para observar as tais fotografias. E quem encontro?? Uma pessoa, que mentiu com a maior cara lavada, foi desleal, me deixou pra baixo de capacho (pelo menos foi assim que me senti), foi manipuladora, enfim, fez um fuzuê danado.
E lá está ela, no álbum da filha pois ela mesma já encerrou a própria conta a meses atrás, cliquei na foto e lá estava ela, sorrindo ao lado da filha. Aí lembrei-me de tudo que passei e ainda estou passando por causa dela e cheguei a essa conclusão: sou uma vira-lata mesmo!
Sabe aqueles momentos de raiva, em que a gente desabafa e diz que não está nem aí, nunca mais quer ver a pessoa nem que ela venha rastejando, implorando, não quero saber, que se dane.... coisas desse gênero??
Pois é, achei que minha reação continuaria sendo essa e para minha surpresa, o que senti??? Ternura, carinho.... Mas como assim?? Sei que sou uma tonta na hora de falar, de desembuchar, que acabo falando um décimo do que a pessoa merece ouvir, mas ternura?? Me poupe...
Olhei para foto, ela estava sorrindo, me parecia feliz. Se está realmente feliz com a vida que está levando não sei, só sei que pelo menos naquele instante, naquele clique, ela estava feliz e eu também fiquei feliz em perceber isso, não estou dizendo que queria vê-la triste, infeliz ou coisa assim, espero realmente que ela esteja bem, só quero dizer que ela merece ouvir umas poucas e boas, afinal de contas, para minha estrela brilhar a dela nao precisa se apagar.
Amigo dá força, dá apoio e também dá os devidos puxões de orelha quando vê que o outro está saindo da linha e ela ainda merece um belo puxão de orelha de minha parte e percebi naquele momento que se por acaso eu cruzar com ela, eu simplesmente não conseguirei fazer isso.
O que farei?? Dar um abraço bem apertado, afinal de contas eu nunca deixei de ser sua amiga, mesmo de longe. Por isso, espero que ela demore muito a me procurar, se é que ela cogita essa possibilidade, assim ela pode continuar pensando que continuo furiosa com o que ela aprontou e com a consciência pesada, se é que chegou a pesar.
Então nao tem jeito. Sou uma vira-lata mesmo, mas não venha me tratar com resto de comida e ossos para eu roer não, quero mesmo é ser tratada com filé miau-au-au.
imagem: Raideres

Flagra


Ela - cresce e permanece criança
A mãe – observa
Ela – encontra no pai um porto seguro
A mãe – amor, acima de tudo e todos
Ela – continua criança
A mãe – espera
Ela – não resiste
A mãe – a flagra usando seus sapatos e chora... de felicidade


Pés: Dela
Sapatos: Da mãe
imagem: Margarete

Pânico



Conversa ao telefone na segunda-feira, do lado de cá da linha: meu marido.




Marido:- Amanhã é feriado aqui em São Paulo, me ligue em casa ou no meu celular.
Pessoa: - Me passa o número do celular, eu não tenho.
Marido:- 71..-....
Pessoa:- Ih, espere um pouco, deu pânico na caneta...
Marido:- Certo.... (com a mão na boca para não cair na gargalhada)




imagem: Dega

Orquídea

Qual é a graça em cuidar de uma folhagem feia durante um ano inteirinho??




Resposta:


Dia



Dia de ouvir:
o canto dos pássaros - já os ouço
o silencio
meu coração
a risada de uma criança
a tagarelice da outra

De cantar
De dançar
De olhar para meu interior
E me reencontrar

Dia de organizar
De limpar as gavetas de minha existência
De destrancar as portas de meu coração
De abrir as janelas da minha razão

Hoje
Dia de olhar pela janela a procura do sol
Dia de faxina...


imagem: Cia das cores

Estou com raiva


De mim, por ser tão passiva, ai que raiva, ai que raiva, queria conseguir simplesmente botar tudo pra fora, falar tudo que me dá vontade, mas na hora H acabo contornando a situação, escolho as palavras cuidadosamente, sendo delicada, coerente e tento ao máximo não magoar ninguém e no final quem leva a culpa e sai magoada sou eu.

Estou chorando por dentro, não gosto que me vejam chorando. Está doendo e me fazendo mal, meu marido diz que sou boba, tenho que deixar rolar e pronto. Depois que desabafa, passa... Mas não consigo!

Estou no meio de uma luta e me sinto fraca, não sei como agir nesse momento, sinto que devo fazer algo mas não consigo organizar meus pensamentos e minhas atitudes.

Me sinto só, sinto falta de receber uma ligação, um oi ou como você está? gestos tão simples... tenho tudo o que sempre sonhei, uma família linda, um homem maravilhoso que amo e sei que sou correspondida, duas filhas maravilhosas, uma casa que transpira meu jeito de ser, cada cantinho tem minha assinatura, tenho meu trabalho, mas tem hora que me sinto muito só e para ser sincera, odeio isso.

Será que é meu nariz empinado? Não tenho culpa, meus pais me fizeram assim. Talvez meu jeito tímido de ser, demoro muito para poder mostrar quem sou e muitas pessoas acabam achando que sou “metida”, será? Ou talvez seja bobeira minha.

Só sei que um elo de confiança se quebrou e me desestabilizou. Acredito nas pessoas e em sua capacidade de adaptação, mas tenho medo, quero resolver tudo, abraçar o mundo, só não acho uma resposta a essa equação.

Ai que raiva e para variar estou ficando com dor de ouvido, toda vez que fico tensa sinto dor.
imagem: www.apape.org.br

Caminhos


Olhando pela janela,
O tempo passa
Sem olhar para trás
Continua seu caminho a passos largos

Entre pedras, buracos e curvas
Escolhas acertadas
Escolhas equivocadas
O tempo passa, implacável

Amanhecer
Anoitecer
Adormecer
Despertar

Caminhos se cruzam
Caminhos se afastam
Caminhos perigosos
Caminhos paralelos

Decisão
Bifurcação
Cruzamento
Indecisão

Meu! Meu!


Apaga a vela! Apaga a vela!
Corta o bolo! Corta o bolo!
Primeiro pedaço e meu!
Meu!
Meu!
E o primeiro pedaço passou.
Segundo então.
Meu!
Meu!
Meu!
Esse nem chegou perto.
Terceiro?
Não quero! Não quero!
E ele vem,
Meio sem graça.
E eu, não quero! Não quero!
Parou e estendeu o braço.
Para mim? Tem certeza?
Meio sem graça me entregou.
Meio sem graça aceitei.
Eba, eu ganhei, eu ganhei....

Despedida


Dia triste
De lhe dizer adeus
Apenas lembranças me restaram
Cheiro de pão
Uva passa e ricota
Meu preferido
Sabor de infância
Ah, como sabias disso...
Seu jeito de olhar
De falar, de sorrir
Tudo me vem à memória
Agradeço por ter sido assim
Me despeço
Com o coração apertado
Com lágrimas que insistem em rolar
Com dor
Mas com a imensa satisfação
De ter feito parte de sua história
Adeus...

Ontem não escrevi nada pois a dor de uma perda não me permitiu.
Hoje me despedi e presto homenagem a uma pessoa maravilhosa que passou pela minha vida e que sempre tive imenso prazer de chamá-la de tia.
imagem: http://escrevoapenas.blogs.sapo.pt

Para rir....


Levei minhas filhas ao parque domingo e tinha um grupo de amigos usando camisetas iguais que dizia o seguinte:

Escola é como o mar,
Os professores navegam,
Os alunos bóiam,
As notas afundam...


Bem que os professores podiam resgatar os coitados. (risos)


imagem: aqui

Love



É andar na corda bamba sem rede de proteção
É ver a luz do sol em meio a nuvens carregadas
É sentir o perfume de uma flor a quilômetros de distância
É ver o arco íris antes mesmo da chuva passar
É simplesmente amar
No presente
Sem ter medo do futuro
Para que o passado
Seja uma doce lembrança

29 de Outubro - Dia do livro

Ouvi pelo rádio que hoje é o dia do livro, então resolvi fuçar um pouquinho na internet e encontrei um poema que descreve tão bem o que é um livro que resolvi publicá-lo também.


Livrospor Adelaide Love

Os livros, penso que são
Como portas encantadas,
Que levam a lindas terras,
Onde moram anões e fadas.

Lugares longe e tão belos
Aonde eu não podia ir,
Mas, agora, com esta porta,
É só ter cuidado e... abrir.

Antes que eles cresçam


Há um período em que os pais vão ficando órfãos dos próprios filhos. E que as crianças crescem. Independentes de nós, como árvores tagarelas e pássaros estabanados, elas crescem sem pedir licença. Crescem como a inflação, independente do governo e da vontade popular, entre os estupros dos preços, os disparos dos discursos e o assalto das estações. Crescem com uma estridência alegre, às vezes, com alardeada arrogância.

Mas não crescem todos os dias, de igual maneira, crescem de repente. Um dia sentam-se perto de você no terraço e dizem uma frase com tal maturidade, que você sente que não pode mais trocar as fraldas daquela criatura. Onde em que andou crescendo aquela danadinha, que você não percebeu? Cadê a pazinha de brincar na areia, as festinhas de aniversário com palhaços, amiguinhos e o primeiro uniforme do maternal?

A criança esta crescendo num ritual de obediência civil. E você agora esta ali, na porta da discoteca, esperando que ela não apenas cresça. Ali estão muitos pais, ao volante, esperando que saiam esfuziantes sobre patins, cabelos soltos. Entre hambúrgueres e refrigerantes nas esquinas, lá estão nossos filhos com o uniforme de sua geração, incomodas mochilas, nos ombros nus, ou então com a blusa amarrada na cintura. Esta quente, achamos que vão estragar a blusa, mas não tem jeito, é o problema da geração. Pois ali estamos, com os filhos que conseguimos gerar apesar dos golpes dos ventos, das colheitas das notícias e das ditaduras das horas. E eles crescem meio amestrados, observando nossos muitos erros.

Há um período em que os pais vão ficando órfãos dos próprios filhos. Não mais os colheremos nas portas das discotecas e festas, quando surgiam entre gírias e canções.
Passou o tempo do ballet, do judô, do inglês, da natação. Saíram do banco de trás e passaram para volante das próprias vidas.

Deveríamos ter ido mais a cama deles ao anoitecer para ouvirmos sua alma respirando, conversas e confidencias entre lençóis da infância e os adolescentes cobertos, naquele quarto cheio de adesivos, posters, agendas coloridas e discos ensurdecedores. Não os levamos suficiente hambúrgueres e cocas, não lhes compramos todos os sorvetes e roupas merecidas.

Eles cresceram sem que esgotássemos neles todos nosso afeto. No principio subiam a serra entre embrulhos, bolachas, engarrafamentos, natais, páscoa, piscina e amiguinhos. Sim, haviam as brigas, dentro do carro, disputa pela janela, pedidos de chicletes, sanduíches e cantorias infantis. Os pais ficaram, então, exilados dos filhos. Tinham a solidão que sempre desejaram, mas, de repente, morriam de saudades daquelas pestes.

O jeito é esperar. Qualquer hora podem nos dar netos. O neto é a hora do carinho ocioso estocado não exercido nos próprios filhos e que não pode morrer conosco. Por isso os avós são tão desmesurados e distribuem tão incontrolável atenção. Os netos são a última oportunidade de reeditar o nosso afeto.

Por isso é necessário fazer alguma coisa a mais, antes que eles cresçam!!!


(autor desconhecido)
imagem: Dra sick Love

Abraço de minhoca...


Minhas filhas não são muito fãs de dormir não, aliás, acho que nenhuma criança é. Sempre reclamam que não brincaram, que não estão com sono e ficam enrolando.
A mais velha fica muito brava, reclama bastante, mas depois que se troca, escova os dentes e dá o beijinho de boa noite, acaba ficando sossegadinha na cama e logo pega no sono.
Já a outra chulé, é chulé mesmo, não sai do meu pé. Não reclama, se troca e deita, mas levanta umas dez vezes, vai várias vezes pro meu quarto.
Numa dessas idas e vindas a chulézinha me perguntou:

- Mãe, você quer abraço de urso, normal ou de minhoca?
- Eu quero os três.
- Tá bom. Primeiro o de urso. – me apertou muuuuuuito, eita menina forte.
- Agora o normal. – me abraçou e deu uns tapinhas nas costas, esse foi melhor.
- Agora o de minhoca. – nada
- Ué, não vai me dar o abraço de minhoca, não? – perguntei
- Já dei.
- Não senhora. Você não me abraçou...
- Eh mãe, abraço de minhoca é assim mesmo, minhoca não tem braço. – rindo muito da minha cara....

Depois dessa, é melhor dormir.... boa noite...

Anjo


Tive a idéia de escrever este texto há algum tempo atrás, mas o assunto simplesmente saiu da minha mente, havia me esquecido completamente e assim como saiu da minha mente ele voltou agora, nem sei porque, só sei que esse assunto não sai da minha cabeça, então e melhor escreve-lo logo, vamos a ele.

Eu estava sentada em um banco duro de concreto, com o bumbum gelado, sentindo frio, pois ao sair de casa achei que o dia seria quente e me enganei profundamente. Havia me levantado bem cedo, na realidade, para mim acordar as 5:40 da manhã é acordar de madrugada e acho que essa foi a razão do meu engano, devo ter saído ainda sonolenta de casa.


Voltando ao banco... gelado, duro, bumbum doendo, sentindo frio, estava ao lado de minha filha mais velha e sabíamos que ficaríamos várias horas naquela condição, então levamos algumas coisas para nos distrairmos, ela levou algumas bonequinhas e eu levei um livro e o estava lendo para passar o tempo. Foi quando vi uma pessoa passar por mim, ela não me viu, cumprimentou algumas pessoas que estavam em pe e entrou em uma sala.


Voltei no tempo, viajei e lembrei como a conheci. Eu estava passando por um momento muito difícil de minha vida, me sentia a pior das pessoas, a pior das mães, incapaz, incompetente, perdida e frustrada. Então ela surgiu em minha vida, apresentada por uma pessoa que eu nunca havia visto na vida, só havíamos conversado por telefone, sabe aquelas coisas de a prima do vizinho, que é tia da fulana, que conhece alguém que pode te ajudar? Foi assim, duas pessoas totalmente estranhas entraram na minha vida, me mostraram que eu não estava sozinha, que minha filha não estava sozinha e qual direção eu devia tomar.


Ela, uma médica, professora de uma universidade, chefe do ambulatório de endocrinologia, me ouviu, me explicou tudo o que estava acontecendo e se prontificou a me ajudar, ou melhor, a nos ajudar. Eu já estava levando minha filha ao médico, mas é incrível como aquilo me fazia mal, cada vez que eu ia à aquele ambulatório eu voltava mal, mas muito mal mesmo, aquele lugar sugava todas as minhas forcas, quando eu chegava em casa, tomava um banho e me deitava o resto do dia, não sei explicar, era horrível, não conseguia trabalhar, me sentia esgotada.

Ela então se prontificou em transferir o prontuário de minha filha para seu ambulatório e passar a atendê-la, pois era a área que ela atuava, estava engajada em ajudar meninas com o mesmo problema de minha filha e inclusive estava planejando montar um grupo de apoio.

E isso vem acontecendo desde então, acho que já faz uns cinco anos que isso aconteceu, e me fez tão bem, não me sinto mais vazia, não me sinto mal, sei que toda vez que vamos até lá temos que esperar bastante tempo, que o atendimento não é VIP, mas isso não me incomoda, sei que estamos no local correto, que é um centro de referência e que minha filha não poderia estar em melhores mãos.

Voltando novamente ao banco....: depois de me lembrar de tudo isso, pensei: Eu já vi um anjo e ele acabou de passar por mim.

Não estou louca, não me refiro ao anjo, ser divino que vive ao lado de Deus, me refiro a pessoas que sem saber fazem o papel de um anjo, te ajudam em momentos onde tudo parece negro, e que talvez nunca saberão que foram instrumentos de Deus. Essa pessoa entrou em minha vida, me ajudou e continua a ajudar-me, embora faca parte de sua profissão e seja algo tão comum para ela, se tornou meu anjo sem me pedir nada em troca.

Em um determinado momento ela me viu, acenou para mim e sorriu. Só isso, nada mais, acho até que ela nem se lembra qual é o meu nome, mas isso não importa e não preciso de mais nada para dizer que eu já vi um anjo.

Minha definição de anjo é essa: anjo = pessoas comuns movidas pela vontade de ajudar ao próximo.

E você já viu seu anjo? Pense bem...


ou


talvez você já tenha sido o anjo de alguém e nem se deu conta...
imagem: www.conselhonet.com.br

Missão cumprida


Fiz e falei o que meu coração mandou.

Não julguei, quem sou eu para julgar.

Simplesmente falei, falei e falei.

E também ouvi.

Estou feliz.

Hoje

Preciso ter discernimento
Preciso saber usar as palavras
Preciso organizar meus pensamentos
Preciso ser clara
Preciso que Deus me ajude
A ajudar quem está precisando de mim
A mostrar que o amor prevalece
Acima de tudo
Acima de todos
Independentemente de conceitos
De preconceitos
Hoje preciso ser a mão
Que ajuda a levantar
E mostrar o caminho
Embora difícil
O caminho do amor
Deus, me de forças
Preciso de ti
Hoje e sempre

Uma aventura


- Oi, te acordei?
- Não, o que foi?
- É melhor vocês descerem, pois atearam fogo nas coisas que está na garagem da sua vizinha e está um fogaréu de dar medo....
- To indo....

Esse foi o diálogo que tive com meu vizinho às 00:30 hr deste domingo.

Me lembro quando me mudei, a primeira pessoa que foi nos cumprimentar foi essa senhora, mora em frente à minha casa e segundo ela mesma, foi uma das primeiras moradoras da rua. Minhas filhas sempre a cumprimentavam, gostavam realmente daquela senhora.

O tempo foi passando, e ela começou a mudar. Começou a beber, deixou de cuidar da casa, deixou de cuidar dela mesma, começou a juntar material reciclável para vender, só que ela nunca vendia, então começou a juntar lixo.

Quando não pôde mais entrar na casa devido à sujeira, passou então a morar na garagem. Os vizinhos mais chegados, e isso me exclui completamente, tentaram convence-la a voltar para sua casa, limpar toda aquela sujeira, mas ela simplesmente era irredutível, xingou, falou um monte de besteira, mandou todo mundo pra aquele lugar....

A prefeitura já foi várias vezes recolher todo aquele lixo, ela sempre faz aquele carnaval e é só o caminhão virar a esquina ela volta a juntar todo aquele material, que segundo ela é para vender, então por que não os vende???

Nesse sábado estava tudo calmo na rua, me deitei e quando comecei a pegar no sono ouvi um barulho na porta da garagem dela, logo imaginei que era ela entrando para dormir, comecei a ouvir alguns estalos que eu não conseguia distinguir do que se tratava, resolvi então me levantar para ver o que estava acontecendo e quando olhei levei um baita susto, atearam fogo nas coisas que estavam dentro da garagem da casa dela, que fica o tempo todo destrancada, senti o bafo quente das chamas, e uma fumaça preta subia pelo ar.

Corri para ligar para meus vizinhos da frente, que tem a casa ao lado da dela, pois estava preocupada, se o fogo se alastrasse seria perigoso para eles, enquanto isso o vigia noturno que estava passando de moto pela rua voltou para chamar os bombeiros, que graças a Deus é bem pertinho de casa.

Os bombeiros chegaram rapidamente e conseguiram apagar o fogo, a vizinhança toda acordou. Terminado o trabalho de apagar o fogo, eles (bombeiros) subiram até a casa para ver se estava tudo bem por lá e encontraram à senhora dormindo sobre um colchão. Aí, me pergunto, se os bombeiros tivessem demorado e o fogo se alastrado até a casa dela, o que teria acontecido??
Todos nós imaginamos que ela não estava por lá, pois o barulho que o caminhão dos bombeiros fez acordou a vizinhança inteira, menos ela.

E os filhos onde estão?

Não existe algum tratamento para isso?

Lembro-me de ter visto uma reportagem na televisão falando sobre isso, uma senhora que juntou 20 toneladas de lixo em sua casa, isso deve ser uma doença, uma desordem emocional, sei lá. Me pergunto novamente, e se ela estive dormindo na garagem? O que teria acontecido?

E o pior é que os bombeiros tentaram convence-la a retirar toda aquela tralha, aí a velhinha subiu nas tamancas e rodou a baiana, de novo, para variar. Disse que as coisas eram dela, a casa era dela e ninguém tinha nada a ver com aquilo, blá, blá, blá, blá, blá, blá... Reclamou também que quem ateou fogo foi algum vizinho, que vizinho só serve para encher o saco, blá, blá, blá, blá, blá, blá...

Só sei que perdi o sono, demorei muito para conseguir dormir, acabei pegando um livro para ler, ainda bem que era domingo e eu não teria que acordar cedo para trabalhar.

Então digo, morar na minha rua é uma aventura.

Ah, a casa dela está à venda, alguém quer comprar??? A vizinhança é ótima e ficará melhor ainda, pois Deus é pai....


imagem: marciovalle

Loira ou morena??


Como sou naturalmente loira, fiquei morena na esperança de ser considerada mais inteligente.” Cameron Diaz, atriz americana, na revista VIP de outubro


Como sou naturalmente morena, fico loira na esperança de não magoar as pessoas com minha inteligência fora do comum.” Margarete, ao responder às pessoas que tentam fazer gracinhas insinuando que ela é loira burra, só para ver a cara de pato que elas fazem.


O impressionante é como as pessoas têm memória fraca e mesmo que tenham me conhecido na época de minha morenice simplesmente acham que sou realmente loira, não me incomodo com isso, sou artificial assumida, pago a conta do cabeleireiro em dia, que agradece e fica muito feliz quando as pessoas me confundem com loira natural, afinal de contas é fruto de seu trabalho.

Celular


- Mãe, qual era a cor do seu primeiro celular?
- Preto. Porquê?
- Pensei que era rosa. Porque você não pediu para sua mãe dar um rosa para você?
- Minha mãe? Ih, filha eu já era casada quando comprei meu primeiro celular...
- Você não tinha celular quando era adolescente?
- Não. Celular não existia naquela época.
- Vixi, que pobreza...


imagem:1 www.byjucaerografia.com

Vermelha


Na porta de sua cozinha ela estava em pé, cabelos castanhos amarrados em rabo de cavalo, vestido cor de rosa, nos pés uma sandália também rosa, em seus braços uma boneca, mais que isso, uma companheira, linda, de cabelos loiros cacheados, com cheirinho de bebê, vestidinho azul e branco e que chorava de verdade, um barulho havia chamado sua atenção, crianças gritando animadas e o som do motor de um caminhão, de lá ela avistou o motivo de tanto alvoroço.

Homens de macacões azuis entregavam uma bicicleta, amarela, reluzente. O dono, mal cabia em si de tanta felicidade, suas bochechas estavam rosadas, ela então olhou para sua companheira e pensou: Agora somos só você e eu, e entrou. Sabia que acordara com sua mãe, ao explicar-lhe que não havia possibilidade de lhe dar uma bicicleta, que aceitara ganhar uma boneca, pois ela estaria dentro das possibilidades da família, fora pessoalmente escolhê-la e no momento em que a viu soube que seria aquela.

Os dias se passaram, sua casa tornara-se seu refúgio, deitada no sofá sempre com sua companheira, aos poucos perdera a vontade de comer, não queria brincar, os amigos a convidavam, mas ela rejeitava qualquer pedido, simplesmente não queria sair na rua e ver todos seus vizinhos com seus troféus, fazendo peripécias, rindo, não queria ver todas aquelas cores, todos aqueles modelos, simplesmente não tinha forças.

Começou a ter febre, sua mãe muito paciente cuidava dela, insistia para que saísse, mas nada a convencia do contrário, assim como sua febre, que não diminuía.

Um dia enquanto estava deitada, ouviu novamente um alvoroço na rua, mas não se interessou em ver o que estava acontecendo. Sua irmã entrou correndo, meio sem saber o que falar, muito agitada a tirou da sala. Ela não tinha o que comemorar e não entendia o que estava se passando, entrou no banheiro e lá ficou com sua companheira.

Após alguns minutos sua irmã retorna e pede para que ela vá até a rua. Relutante ela vai, caminha pela cozinha, móveis vermelhos, tudo vermelho, geladeira, fogão, armário, mesa, cadeiras, nunca entendera porque seus pais haviam decidido comprar móveis daquela cor, sobre a mesa um vaso com margaridas, colhidas do quintal de sua avó, caminhou então pela sala, um conjunto de sofás, uma estante e uma televisão preto e branco, passou pela porta e a viu, vermelha, brilhando, olhou para trás e encarou sua irmã que acenou com a cabeça: Vai, é tua.

Correu, sua boneca nos braços, olhou para todos os amigos que estavam na rua, para sua mãe, mulher forte, linda e com um imenso sorriso no rosto segurava sua preciosidade. Entregou sua companheira à pessoa mais próxima e a segurou, passou suas mãos pelo guidão, pelo banco negro, sentiu a textura e o cheiro dos pneus novinhos, vermelha, ela é vermelha.

Percebeu alguém atrás dela, sua irmã, pegou sua mão e ajudou-a a subir, colocou seus pés nos pedais e começou a empurrá-la pela rua de terra batida, seus amigos a acompanharam, ela perdia o equilíbrio, mas a irmã a sustentava, outras mão surgiram para auxiliá-la.

Uma tentativa, duas tentativas, na terceira tentativa ela aprendeu, se equilibrou e seguiu pedalando, seus cabelos longos, soltos, voavam impulsionados pelo vento, seus olhos brilhavam, seu desânimo passara, sua febre passara e o sorriso voltara ao seu rosto, baixou o olhar e ela estava lá, vermelha e linda.

Parou, olhou para trás sorrindo, simplesmente não conseguia parar de sorrir e lá estavam sua mãe e suas irmãs, de mãos dadas e sorrindo.

Olhou novamente para sua mãe, em seus braços a boneca.


"Dedicado a todas as pessoas que não medem esforços para ver uma criança sorrir"

Sinto muito


Que tenhas acreditado em tantas mentiras
Pelo simples fato de lhe convir

Que tantos anos de amizade
Não a tenha feito repensar suas atitudes

Que tenhas mentido tanto
Pois a mentira maior foi a você mesma

Por eu ter acreditado que nossa amizade era verdadeira
E ter me entregue de corpo e alma

Por permitir que entrasses em minha vida
E se tornasse parte de mim

Por ter se tornado uma estranha
Que me acusa e não permite que eu me defenda

Por ter achado que suas atitudes eram verdadeiras
E hoje duvido de tudo que ouvi e vivi com você

Por ter amadurecido de forma tão dolorosa
E estar pagando caro por ter confiado em você

Sinto muito e peço a Deus
Que tire esse véu que lhe turva a visão

Que ilumine seu caminho
E sejas feliz

Se um dia lembrares de mim e de tudo que passamos
Lembre-se também que fui inteira e verdadeira

Sei que, quando essa tempestade passar
O sol brilhará e poderei olhar para trás de cabeça erguida.

Sinto muito, por você.


imagem: Carla Salgueiro
Alguém sabe o que leva uma criança acordar às 5:35 hr da manhã??
Pense bem... tá frio.... vou dar uma dica: semana da criança....
Tá difícil....
Parque da Xuxa, oras.

E eu? Cansada e com sono....

Amizade


Tive uma amiga de infância, aquele tipo de amiga que não se largam nem por um instante, éramos assim. Íamos para a escola juntas, brincávamos juntas, compartilhávamos nossos brinquedos, éramos unha e carne.
Só tenho boas lembranças dessa fase de minha vida, minha família tinha menos recursos financeiros que a dela, então muitas coisas que fiz e presenciei foi graças à ela.

As poucas vezes que fui à praia, foi com a família dela. Me lembro como se fosse hoje, ela ia e ficava um mês inteirinho na praia e eu sabia que na última semana eu iria, o pai dela chegava na sexta-feira, após o trabalho, me chamava e me dizia: -Quer ir à praia comigo amanhã? Então esteja no portão amanhã às seis horas-. E eu, já estava com a minha mala arrumada.
Crescemos e nos tornamos adolescentes, então eles se mudaram, continuaram no mesmo bairro, mas em um local melhor, mais centralizado. Eu então ia visitá-la nos finais de semana, dormia lá. Ela por sua vez, fez novas amizades, eu tentei mas essas nova amigas eram muito diferente, agiam de forma diferente, eram mais velhas e já tinham outra visão do mundo, me senti deslocada, meio deixada de lado e me afastei. Nossa amizade esfriou, nos víamos de vez em quando e nos tornamos velhas conhecidas.
Os anos se passaram, ela se casou e foi morar em sua antiga casa, mas a situação já era outra, ela estava casada e eu noiva, planejando o meu casamento, que ocorreu uns dois anos depois. Mudei-me para meu apartamento, tive minha primeira filha e alguns anos depois ela teve uma filha linda, olhos azuis, uma princesinha. Nos falávamos por telefone.
Uma bela noite sonhei com ela, desesperada me dizendo que precisava muito falar comigo, em prantos, acordei assustada e pensei em ligar para ela pela manhã. Mas o dia se passou e não liguei, a semana passou e não liguei. Novamente sonhei com ela, o mesmo enredo e aquilo realmente me deixou preocupada, mas não liguei, tive vergonha de dizer que minha preocupação vinha de um sonho, simplesmente ridículo.
As semanas passaram e eu estava na casa de minha mãe conversando, matando a saudade, então perguntei sobre ela afinal fazia um tempão que não a via. Então minha mãe me disse que ela havia se separado e que sua vida estava de cabeça para baixo. Ela estava passando por um terrível momento, voltara a morar na casa de seus pais, o marido estava tentando levar sua filha, resumindo, um caos total.
Lembrei-me de meus sonhos, meu Deus, será que falhei? Vou ligar para ela, disse à minha mãe, que me pediu para não ligar pois a situação era muito delicada, todos estavam tentando protege-la e que talvez minha ligação não fosse bem aceita. Aceitei seu conselho e aguardei.
Chegou o aniversário de minha irmã e fui comprar uma sandália para presenteá-la e quando entro na loja, lá está ela, - Meu Deus! O que aconteceu com você? – pensei, dei-lhe um abraço, conversamos um pouco e ela se foi. Parecia que vinte anos haviam se passado, estava muito magra, no rosto amargura, tristeza, desespero...não sei ao certo, só sei que me senti muito mal vendo como ela estava.
Passaram-se alguns anos, ficava sabendo como ela estava através de minha mãe e minha cunhada, soube que ia se casar novamente, que sua filha estava cada vez mais bonita e torcia por uma oportunidade de revê-la.
Mês passado, durante uma festa a reencontrei, contei os dias, as horas, pois sabia que ela estaria presente, gosto muito dos pais dela e sei que o sentimento é recíproco para com meus pais e que ela compareceria , afinal de contas eram as Bodas de Ouros de meu queridos pais.
Estávamos recepcionando os convidados, e quando olho na recepção, vi algumas pessoas entrando e não os reconheci, é claro, a festa é de meus pais e não sou obrigada a conhecer todos seus amigos.
Comecei a reparar ao me dirigir até eles, puxando pela memória, se eu os conhecia, pois meus pais chegariam depois para a cerimônia. Havia um casal, uma menina linda de olhos azuis, a moça tinha cabelos longos, pele bonita, um sorriso no rosto a me olhar, a reconheci imediatamente, retribuí o sorriso e me aproximei, ela então me abriu os braços e em nosso abraço soube que agora ela está bem, seu rosto me mostrou isso, seu sorriso, seus olhos, seu jeito de falar, a troca de olhares entre ela e seu novo marido tirou um enorme peso de minhas costas, por simplesmente não ter agido e não ter ido dar uma força, um ombro amigo, mostrado que me importava e que ela poderia contar comigo.
Resolvi escrever esse texto hoje pois é seu aniversário e apesar de tantos anos longe nunca me esqueci dessa data, sempre lhe desejei o melhor e hoje minha amiga lhe desejo muuuuuuitas felicidades, que Deus ilumine sua vida pois você merece e que perdoe essa sua velha amiga que é falha mas te ama muito.. também para dizer que aprendi que devo seguir meu coração, sempre, pois naquele momento ele me dizia para correr em seu auxílio, mesmo se não aceitasses, mas o fiz calar-se e que isso nunca mais acontecerá.
Na minha casa chamada coração, existe um cômodo todinho seu, sempre.
PARABÉNS!!!

Tomar sol


- Nossa filha, sua pele está bonita, toda bronzeada. Queria ser igual à você..
- Por quê?
- Ah, quando tomo sol fico toda vermelha...
- Mas eu não tomei sol.
- Eita, já esqueceu.. Semana passada, calor, sol, parques...
- Não esqueci, não. Tomei suco de maçã, laranja, refri, água, mas sol não. Ele não cabe dentro do copo....

Engraçadinha....
imagem: ToM Cajaty

O que podemos aprender com os gansos




Minha amiga e blogueira Edna publicou uma frase e lançou um desafio aos blogueiros que se interessasem, então lá vou eu:

"Com espírito de bravura, cada um sentia o perigo e a possibilidade real de morte durante a travessia."

A regra é a seguinte:

*Pegar o livro mais próximo;
*abri-lo na página 161;
*procurar a 5ª frase completa;
*postar a frase no blog;
*não escolher a melhor frase nem o melhor livro;
*e, finalmente, repassar o desafio para cinco blogs.

Farei como ela, quem se interessar, publique sua frase. A minha foi extraída do texto "Nosso rosto reflete nossas intenções", do livro O que podemos aprender com os gansos, de Alexandre Rangel.

Essa flor

Que cada amanhecer do seu dia,
Nasça uma flor...
Que cada sorriso teu,
Seja a pétala que torna
essa flor mais completa.
Que cada pensamento positivo,
Seja o caule que a sustenta ...
Que cada passo pra vitória ,
Seja a terra que a alimenta ...
Que cada gesto teu,
Seja o sol que fornece energia,
E que o brilho dos teus olhos,
Seja a beleza e a simplicidade desta flor...
Que me embriaga com seu perfume
E me encanta com seu carisma...
Esta flor que desabrocha em seus pensamentos
E me transforma em você...
Uma flor que vai permanecer intacta,
Às mais diferentes épocas,
Aos mais inesperados destinos...
Uma flor que nunca vou permitir morrer!!!
Sabe porque???
Adoro flores, e...
Adoro VOCÊ!!!

autor: desconhecido

- Vó, guarda esse sorvete na sua bolsa para eu comer depois!


Pérola de um menininho lindo de quatro aninhos chamado Guerrity e que tenho o prazer de chamar de meu sobrinho-neto.

Sonhei




Um dia sonhei te encontrar
Um olhar sincero
Sorriso maroto
E você veio ao meu encontro

Um dia sonhei te amar
E como uma flor que desabrocha
Meu coração se abriu
Apaixonei-me

Um dia sonhei que seríamos fortes,
Ah, não te largo nem por um segundo
Mesmo longe estamos unidos
Se esmoreço, me carregas no colo
Se esmoreces, ajudo-te a levantar

Um dia sonhei
E mesmo acordada
Sigo sonhando
Com você!




image: olhares

ANOS DE ESPERANÇAS

Conta teus anos, não pelo tempo,
Mas pelo espaço que fazes em teu coração...
Não pela amargura de uma dor,
Mas pela experiência que ela traz...
Não pelo número de troféus de tuas conquistas,
Mas pelo gosto de aventura em tuas buscas...
Não pelas vezes que chegastes,
Mas pelas vezes que tivestes coragem de partir...
Não pelos frutos que colhestes,
Mas pelo terreno que preparastes
E as sementes que lançastes...
Não pelas desilusões que tivestes,
Mas pela esperança que destes a alguém...
Não pela quantidade dos que te amam,
Mas pela medida que teu coração é capaz de amar a todos...
Não pelos anos que fazes,
Mas pelo que fazes de teus anos...
Não pelas vezes que celebrastes teu aniversário,
Mas pelas vezes que teu aniversário
Se tornou uma celebração de vida.

Autor: Não sei ao certo, recebi por e-mail...

Frutos do amor


Em um instante tudo se transforma
Quando seus olhos encontro
Ali encontro alento
Ali encontro ternura
Ali encontro o amor

Amor que me guia
Amor que me leva
Amor que me ensina

E em um instante tudo se transforma
Quando decidimos celebrar esse amor
Trilhar os caminhos que se apresentam
Em um instante nos unimos

Caminhamos juntos, lado a lado
Cada lado se completa
A cada dia o amor se renova
Nos guia, nos ensina

E novamente em um instante
O amor se propaga
Gera, nutre, fecunda
E nossos olhos encontram seus frutos
Frutos desse amor

Esses frutos amadurecem
E como uma borboleta alçam vôo
Colorindo os céus, trilham seus próprios caminhos
E novamente propagam esse amor
Que gera, nutre, fecunda
E muitos olhares se encontram

E aquele momento, aquele alento, aquela ternura
Se mantém
E como que por um instante
Meio século se passa
E o amor se renova.

Eis me aqui ao teu lado
Tudo se completa
Todos os dias são iluminados
Todas as cores vibram
Seu canto me inspira

Embora felizes
A liberdade nos falta
Nos faz sentirmos solitários
Nos faz menores

Abruptamente essa liberdade
Tão almejada por nós
Se apresenta
E eu, hesito

Abriu suas asas e voou

Essa liberdade repentina
Tão esperada por nós dois
De repente me assustou
Me acovardei

Acompanhei-te com os olhos
Cantarolando vitoriosamente
Distanciando-se no céu sem fim
De repente, o sol me cegou
E você se foi

O que me restou?

Hoje sigo a vida
Cantando como outrora
Desde o nascer até o pôr do sol
Esperando que você escute
Esperando que você responda
Esperando que você me leve

Que minha música te encontre
Toque em seu coração
E te traga de volta

E essa liberdade?
Ainda me assusta
Sigo a vida


imagem: olhares

Devaneios


Recebi uma ligação de um cliente-amigo ou amigo-cliente, sei lá, a gente já se conhece há um tempão, só para você ter uma idéia ele foi um dos convidados no meu casamento, que já está entrando na fase da adolescência.
Quando ele liga, falamos sobre trabalho, viagem, filhos... ele vive me oferecendo um filhote de sua cachorra, uma boxer que dá medo só de olhar, ela tem uma cara de má, parece que vai arrancar um pedaço da gente, mas quando chegamos perto percebemos que é mais mansa que um gatinho, enfim... acontece que nesse dia ele estava meio deprimido, cansado do ramo de trabalho dele e durante a conversa ele me perguntou se eu gostava de dinheiro e eu respondi que não gostava mas precisava dele para viver, assim como todas as pessoas.
Foi aí que devaneamos....

Será que o mundo seria melhor se não existisse dinheiro?
Quem inventou essa porcaria?? se eu pego esse fulano....
Será que a vida seria melhor se trabalhassemos com crédito pessoal?
Cada boa ação geraria um crédito, um bom dia por exemplo, mas teria que ser "aquele bom dia", não apenas um cumprimento, mas o desejo que o dia de seu próximo fosse realmente bom, Respeito aos idosos,
Ser cordial no trânsito,
Dar preferência ao pedestre, sempre,
Segurar a porta do elevador,
Agradecer,
Ou simplesmente sorrir, um sorriso sincero
Imagine um bebê, esse teria todos os crédito possíveis, apenas por proporcionar felicidade aos pais, avós, tios, irmãos...
Plantar uma árvore,
Alimentar os pássaros,
Amar e ser amado...

Então repito: Será que a vida seria melhor se não existisse dinheiro?
Devaneio, puro devaneio...

Poema

Toda vez que vou procurar alguma coisa entre os livros de minha flor encontro este poema, tanto que acabei por decidir-me publicá-lo. Jogar bola é bom né?!, pular, correr... enfim deixar a criança que existe dentro de nós falar um pouquinho.

Jogo de bola

A bela bola:
A bela bola do Raul.

Bola amarela,
A da Arabela.

A do Raul, azul.

Rola a amarela
E pula a azul.

A bola é mole,
É mole e rola.

A Bola é bela,
É bela e pula.

É bela, rola e pula,
É mole, amarela, azul

A de Raul é de Arabela,
A de Arabela é de Raul.

Ou isto ou aquilo.


Cecília Meireles

Forças

Um beijo
Me aconchego em teu abraço
Sinto teu calor
Escuto a voz do seu coração
Me aconchego um pouco mais
Teu cheiro me acalma
Tua força me dá forças
Teu beijo me dá esperança
Teu olhar me guia

Mãe, você está dormindo?
Não filha, só estava recarregando a bateria....

Borboleta


Voe pelo infinito
Com ternura movendo suas asas
Com a exuberância de suas cores
E a liberdade de seu trajeto

Talvez passes despercebida pelas pessoas
Que na amargura de seus desamores
Não conseguem vislumbrar
A sua leveza

Exuberante e suave
Entre flores, árvore e animais
Desenhando círculos invisíveis
Sob um céu de azul esplêndido
Sob a luz de um sol generoso

Voe borboleta, voe
E ao passar por mim
Se detenha apenas por um instante
Para que eu possa testemunhar
O milagre da vida

Voe borboleta, voe
imagem: www.olhares.aeiou.pt

Quero um amigo...

Verdadeiro, sem máscaras para disfarçar seus sentimentos,
Que eu possa confiar minhas confidências,
Que o meu sucesso o faça vibrar,
Que minha estrela não precise se apagar para que a sua brilhe,
Que a minha verdade não te magoe,
Que o seu apoio seja incondicional,
Que eu possa compartilhar meus sonhos,
Que me dê aquele empurrãozinho que falta,
Que não cobice o que é meu,
Que seja transparente,
Que me faça sentir bem,
Que compartilhe meus bons e maus momentos,
Que não me peça nada em troca dessa amizade,
Um amigo sincero, leal, que ature minhas falhas,
Que se entregue de corpo e alma,
Que não se vire contra mim,
Que não deturpe tudo o que digo para justificar seus erros,
Que não me use para conseguir o que almeja,
Que nunca magoe as pessoas que amo, por um simples capricho seu,
Por que aí meu amigo, não há amizade que resista.

Peixe X Crustáceo


- Mãe, eu aprendi que caranguejo não é peixe.
- É mesmo?
- É, e o certo é cantar essa música assim:

Roda, roda, roda
Pé, pé, pé
Roda, roda, roda
Caranguejo crustáceo é.....

- Então comece a cantar certo.
- Ah, mas fica muito feio, vou cantar errado mesmo.

imagem: C aio Whitaker

A saga do dente valente II


Gente, a saga do dente valente finalmente chegou ao fim!!!!!

O dentinho mais teimoso que conheci finalmente caiu, precisou de uma forcinha aqui da mamãe, mas caiu. Comemoramos, pulamos, acordamos o povo todo pra ver a "janelinha", foi uma festa.

Falei então para minha florzinha que a fada do dente traria um presentinho bem legal - aliás, eu tive que argumentar muuuuito para que ela deixasse eu tirar esse bendito dente - mas ela não acreditou não.

Curto pra caramba alimentar a fantasia de uma criança e eis que no dia seguinte "apareceu" uma pulseirinha maravilhosa bem embaixo do travesseiro dela.


- Mamãe, olha só o que eu ganhei. Poxa, eu tinha certeza que ela não existia, será que ela está triste comigo??!.


Não existe




- Papai Noel não existe!
- Ah é?! Quem te dá os presentes no Natal então?
- Você e o papai.
- Tá, e fada? Existe?
- Também não.
- Duende?
- Claro que não.
- E o coelho da páscoa.
- Esse existe.
- É mesmo? Aquele que te traz ovos de chocolate existe?
- Claro que sim, eu já vi vários....

image: stitch - www.flickr.com

Funcionou.....

Não sei o que aconteceu mas o meu computador voltou a funcionar, ou melhor, depois de uma semana consigui abrir os blogs.... vai entender....

Minha exposição

Quem disse que eu não tenho talento, hein?!!?!! Quem me dera!!
Esse quadro é meu sim e está decorando a sala do meu marido, já o museu é virtual.



Se você também quiser fazer o seu museu particular, acesse www.dumpr.net

Pérola da mana n° 3


Uma de minhas irmãs é uma verdadeira palhaça, no bom sentido hein!!, se bem que quando nos juntamos (somos em quatro irmãs) só sai besteira, mas com toda certeza ela é a irmã que mais produz asneiras.


Ontem fui dar um abraço beeem apertado na mana n° 2 pois foi o níver dela, e é claro nos juntamos e rimos pra valer.


Aí vai uma pérola da "palhaça", quando encontrou com o meu marido, que por sua vez tem uma bela protuberância denominada barriga.


- Nossa você compra suas camisas na prefeitura, né!?!

- Prefeitura, você está louca?!!

- Isso mesmo, já vem com a lombada....

- Ah é! É exatamente o mesmo lugar em que você compra as suas roupas.

- Não, eu compro na feira.

- Na feira?

- É. Já vem com a melancia.



Mana, te amoooooo! Sua louca!!!
imagem: Mari Specht
Mãe eu quero comer geléia motocó!!!

Hã???

- Mãe, mouse significa rato, né?!
- Isso mesmo filha.
- E esse aí do lado é o que? O gato?


O "X" da questão

O X que me fez chorar

O X que me frusta

O X que me faz sentir culpa

O mesmo que me trouxe você

O X que me mostrou

O quanto o você é importante

E quanto sou impotente

Os desafios a superar

A ânsia de vencer

A necessidade de lutar sempre

De cair e levantar

De Sofrer

De causar dor

De pedir a Deus uma saída

O X que se esconde

Faz de você um ser único

Faz com que eu te ame muito

Minha flor

Ganhei o dia

Manhã fria
O sol surgindo aos poucos
No quarto ela dorme
Entro e ajeito o cobertor
Ela suspira, abre os olhos
Te amo
As lágrimas surgem
Disfarço
Abraço
Beijo
Também te amo, muito
A alegria aflora
Lutar vale a pena
Ganhei forças
Ganhei meu dia
imagem: naty15l - www.flickr.com
- Filha quantas vezes eu tenho que pedir para você calçar o chinelo, hein?!!

- Huummmm, umas quarenta e cinco....

A saga do dente valente


Sabe essas coisas de psicóloga?? Não pode ficar traumatizada.... tem que sair na boa... e ela lá “empinando pipa” e o dente valente... a dentista e a mãe torcendo pro bicho cair e ele lá dando risada das duas tontas...


Pelo menos ela não usa cerol!! E o dente continua valente.

Trânsito

Ainda sonolenta toma banho
Desperta e se prepara para mais um dia
Toma o café da manhã
Beija as filhas, Te amo! Até a noite...
Entra no carro e começa a jornada
Trânsito engarrafado, volta, caminho alternativo
Me dei bem
Pura ilusão, na próxima esquina o trânsito me alcança
Paciência, muita paciência...
Buzinas, gente irritada
Paciência, muita paciência
Muda novamente o caminho
Já sem ilusão, segue o tráfego
Caminhões, carros, motoqueiros
De esquina em esquina o tempo passa
Olha as placas, as lojas, as casas passarem lentamente...
Cancela os compromissos da manhã
Finalmente chega, o trabalho acumulado
Paciência, muita paciência.....

Essa é a vida de uma paulistana em um dia como hoje... Caminhão tomba, derruba toda a carga na pista da marginal e o trânsito fica um lixo, assim como a carga toda espalhada no chão: 17 toneladas de puro lixo... ainda bem que é reciclável!

Máquina de dinheiro

Recebi a ligação da minha florzinha, ela me perguntou:

-          Mãe eu não entendo como você ganha dinheiro.

-          Não entende filha? Bom, eu trabalho no escritório prestando serviços aos meus clientes, cobro pelo serviços que faço e eles me pagam. É assim que ganho dinheiro.

-          Mas mãe, aí só tem mesa, computador, telefone, como é que você ganha o dinheiro?

-          Esses são meus instrumentos de trabalho filha, é assim mesmo. Eu não vendo produtos, eu trabalho para as empresas daqui do escritório. Entendeu?

-          É, tá bom, mas onde é que você guarda a máquina de fazer dinheiro?

 

Ai, acho que essa florzinha ainda não entendeu como se ganha dinheiro....

Bem que seria bom ter uma máquina para fazer dinheiro, mas acho que a minha estaria sempre em manutenção por sobrecarga. (hihihi)

À noite

Na penumbra ela se encontra,
Corpo relaxado,
Rosto sereno ,
Cabelos espalhados,
Mãos em prece,
Olhos fechados,
Respiração suave,
Me aproximo,
Te amo! sussurro ao ouvido,
E ela suspira, respira fundo,
Se aconchega em seus sonhos,

Volto para a cama....

Aos olhos do pai

Sabe aquela sensação que temos ao ver nosso bebê pela primeira vez? Dá vontade de rir, chorar, pular, correr, é uma mistura de sentimentos simplesmente indescritível.
Me emociono a cada vez que ouço essa música, ela traduz tudo que senti e sinto pelas minhas flores.
Lindas e perfeitas aos meus olhos...

Cara de pau

Sempre ensinei às minhas filhas que não devemos mentir, mesmo que estejamos com medo devemos falar a verdade, um dia alguém me contou que "mentira tem perna curta e um dia ela acaba mancando", portanto quando mentimos, mais cedo ou mais tarde a verdade aparece.
Minha florzinha em uma determinada ocasião aprontou em casa, pegou uma caneta e pintou toda a parede do quarto dela, ficou uma coisa horrorosa. Fui então conversar com ela e é claro, explicar que aquilo não podia acontecer, se ela quisesse escrever que pegasse papel e se divertisse, mas na parede não. Então perguntei à ela:
- Filha, você não sabe que não devemos escrever nas paredes?
- Não mamãe.
- Não acredito, olha pra mim. - e perguntei novamente - Você não sabia que a parede riscada fica feia?
- Não, eu não sabia.
- Mas você é cara de pau mesmo. - falei brincando
- Não, eu não sou cara de pau.
- É sim filha, eu já te expliquei que mentir é feio.
- Não, eu não sou cara de pau. Põe a mão aqui ó, tá vendo, é de carne e não de pau. -muito chateada comigo.

Tive então que explicar o significado da "cara de pau" para que ela se acalmasse.

Agora imagine, como será que um cara de pau hidrata a pele? Com óleo de peroba?

Por onde sai o dinheiro

Estava eu em casa bisbilhotando na internet quando minha florzinha veio ver o que eu estava fazendo e me pedir para colocar um joguinho para que ela pudesse brincar. Pedi para que ela aguardasse um pouco e logo ela poderia jogar. Foi então que ela me perguntou:
- Mamãe, por onde sai o dinheiro no computador??
- Dinheiro, que dinheiro?
- Dinheiro ué, se a gente apertar a tecla do número 4 (quatro) sai dinheiro.
- Hã, tecla do número 4?
Então verifiquei, verifique você também e me respondam: Até onde vai a imaginação de uma criança? Bem que a idéia é boa! $$$$$$$$$$$$,$$

Eu quero meu dente



Minha florzinha sofreu um pequeno acidente brincando com as amiguinhas de cobra-cega – quando eu era criança eu falava cabra-cega, mas me disseram que é errado, pois existe uma cobra sem olhos e não uma cabra, enfim – ela na empolgação correu de olhos fechados e bateu a boca no portão. Foi uma pancada bastante forte, cortou a gengiva, sangrou muito e agora os dois dentinhos de cima estão ficando mole. Ela está na fase de troca de dentição mas o acidente antecipou um pouco, ela por sua vez, está super feliz, não vê a hora de ver o dente cair, de “ficar com uma janelinha”. O que me fez lembrar de uma pérola que é um tanto quanto antiga, aconteceu com a minha flor de maracujá que apesar de saber que o dentinho já estava mole, teve uma reação que eu não esperava.


Na hora de dormir, a levei ao banheiro para escovar os dentes e percebi que o dentinho já tinha caído, acho que ela o comeu sem querer, é claro. Então eu falei:


- Olha filhinha, o seu dentinho caiu. Você agora tem uma janelinha.


Ela então olhou no espelho e percebeu que o dentinho havia sumido.


- Cadê meu dente??? - E começou a chorar


- Seu dentinho estava mole, é normal cair. Pena que a gente não viu, né?!


- Mas eu quero meu dente. – Em prantos


- Espera um pouco que vai nascer outro no lugar.


- Não, eu não quero esperar. Eu quero meu dente! Vamos no mercado!


- No mercado? O que você quer fazer no mercado?


- Eu quero meu dente! Vai comprar um dente novo. No mercado tem. Vai logo.... – desesperada


Eu ri muito pois nunca havia imaginado que ela teria aquela reação. E quanto mais eu ria, mais ela chorava. Foi difícil convencê-la do contrário.

Manda pelo correio


Essa aconteceu a algum tempo atrás. Minha sogra foi em casa para ficar com as flores, brincar e curtir as netas. Como toda avó, é sempre muito preocupada com a alimentação dos netinhos - Tem que comer pra ficar forte! - e toda vez que elas não querem comer algo, fica tentando convencê-las do contrário, e ocorre que ela é uma bezerra - bom eu também sou - e não se conforma se elas não quiserem tomar leite.

Então, nesse dia a minha flor não queria tomar leite, só queria comer o pão, e a vovó tão preocupada insistiu:
- Toma o leitinho querida. É pra você ficar forte.
- Mas eu não quero vovó, só vou comer o pão.
- Mas assim você cai ficar fraquinha. Sabe aquelas crianças que vivem na Etiópia? São tão fraquinhas pois não tem o que comer, não tomam leitinho...
- Então vovó, manda o meu leite para eles.
- Mas a Etiópia é muito longe. Fica lá na África, não dá pra mandar.
- Vai de carro.
- Não meu amor, tem que ir de avião pois é muuuuuito longe.
- Ah vovó, então manda pelo correio, oras....

E aí vovó, como sair dessa hein?!!