Intenso


Tem coisas que a gente às vezes fica guardando e só servem para nos atrapalhar e nos puxar para baixo.
Esse final de semana foi muito intenso para mim, fui ao Cirque du Soleil, maravilhoso, curti muito o espetáculo, comemorei o aniversário de meu marido, junto a amigos e familiares, pessoas que carrego no coração. Amigos antigos, que não via a sei lá quanto tempo, né Edna!, amigos novos que a vida uniu devido à amizade de minhas flores, amigo que eu não queria ver, pois havia sido desleal e me magoado muito, mas muito mesmo.
Por isso digo que esse final de semana foi intenso, pois ele teve a humildade de se aproximar de mim e me pedir perdão. Admiro muito meu marido, pois ele já havia tomado essa atitude muito antes dele e principalmente de mim, viu que nessa vida o que importa é nosso coração e não adianta virar as costas para quem amamos, mesmo que essa pessoa tenha sido muito ingrata no passado.
Senti como se um peso tivesse saído de minhas costas, eu não guardava rancor nem mágoa, mas eu simplesmente havia me fechado para ele, não queria vê-lo, não queria falar com ele, simplesmente queria colocar um pedra em cima de tudo que havia representado nossa amizade e apaga-la da minha história. Sou do tipo de pessoa que pensa muito para falar e que foge de encrenca, foi exatamente isso que fiz, não falei e fugi e essa minha falta de atitude o fez sentir-se ainda mais culpado, não digo que ele não mereceu esse meu afastamento, muito pelo contrário, acho que o fiz foi pouco em relação ao que ele me fez passar.
Fiquei meio relutante quando meu marido me disse que iria convida-lo para sua festa, mas acabei aceitando, afinal de contas, se ele ainda o considerava seu amigo eu respeitaria essa posição.
Acho que nossa amizade não voltará a ser a mesma, éramos muito próximos, quase irmãos, sei que agora ele também tirou um peso de suas costas e que ele ainda tem que lutar muito para se restabelecer na vida, tanto profissional quanto pessoalmente, mas sei que comigo ele não precisará mais se preocupar, nunca desejei mal a ninguém e com ele não seria diferente. Para a minha estrela brilhar, a dele não precisa se apagar....
Nos abraçamos e choramos, sem vergonha, sem pudor, com sinceridade e verdade, como toda amizade deve ser.
Então, sem o peso nas minhas costas, eu dancei e dancei muuuito.....

2 comentários:

Edna Federico disse...

Ééééééé, Margarete, riso, foi muito bom!
Ai, amiga...é nobre, mas é tão difícil desculpar, né?
Quando a gente toma consciência que rancor, mágoa, raiva e todos os outros sentimentos ruins só nos atrapalham, impedem nossa evolução espiritual, a vida fica mais fácil.
Acho que sempre é tempo de recomeçar, de rever decisões e perceber que todos podemos errar.
Se com a reaproximação você está se sentindo mais feliz, mais leve, você fez muito bem!
E dançou messssssssssmo...não só dançou, parecia uma criança, hahahahaha.
Beijo

PríncipeTito Blog disse...

Que bom, quando a gente fica mais leve e contente...